Invista em Bitcoin e outras 6 criptomoedas.
Invista em Bitcoin e outras 6 criptomoedas.
Invista em Bitcoin e outras 6 criptomoedas.
Invista em Bitcoin e outras 6 criptomoedas.

É difícil achar alguém que não tenha ouvido ou lido a palavra Bitcoin nos últimos dois anos. Assim como qualquer novidade tecnológica, as explicações logo de cara podem parecer confusas, as notícias variam entre positivas e negativas e os impactos são claros.

Por essa importância, é interessante que você saiba o que é bitcoin, como funciona, onde comprar, o valor e mais sobre essa criptomoeda. Não sabe o que é criptomoeda também? Sem problemas, estamos aqui para ajudar!

O que é bitcoin?

Compra e venda criptomoedas na melhor plataforma do mundo.
Compra e venda criptomoedas na melhor plataforma do mundo.
Compra e venda criptomoedas na melhor plataforma do mundo.
Compra e venda criptomoedas na melhor plataforma do mundo.

É uma pergunta totalmente normal, afinal uma das maiores perguntas nos buscadores é “Bitcoin como funciona?”. Com o boom recentemente, a palavra foi bombardeada nas mídias tradicionais e redes sociais.

Bom, o primeiro que é necessário explicar é que o Bitcoin é uma das chamadas criptomoedas. Não dá para dizer que é “apenas” uma, já que é disparada a mais famosa e comentada, tendo chegado a valer US$ 19 mil a unidade no fim de 2017.

As criptomoedas são moedas virtuais que funcionam com um código difícil de decifrar. As negociações são feitas de forma descentralizada – não há um Banco Central ou governo interferindo – e todas elas são registradas nesse código.

Portanto, ao comprar Bitcoin, o investidor não precisa passar por grandes burocracias. A tecnologia blockchain permite uma negociação 100% online.

E caso você queira vender sua parte, pode negociar diretamente com o comprador e fazer a transferência, algo chamado de peer to peer (p2p). Isso pode ser traduzido como ponto a ponto.

Ou seja, estamos falando de uma grande redução na burocracia e na atuação de grandes instituições.

Quando as criptomoedas davam seus primeiros passos, a atenção gerada era pequena, crescendo dentro de grupos ligados a programação tecnologia e ativistas digitais. Só que logo a força da tecnologia e da ideia começou a ganhar espaço nas mídias tradicionais.

Isso, claro, gerou uma reação. Instituições financeiras e grandes investidores, a princípio, estavam reticentes. Isso foi diminuindo com a valorização da moeda.

A partir de 2016, a aceitação já era bastante grande e logo o mercado começou a pensar mais em criptomoedas.

Corretoras tradicionais começaram a oferecer o produto, o CFA adicionou tópicos sobre criptomoedas no seu currículo e o valor do Bitcoin era reportado como o valor do dólar ou uma ação importante.

História

Como muitas coisas na internet, a historia do Bitcoin é envolvida em mistério. Ela foi criada em 2009 por Satoshi Nakamoto, um nome que não é verdadeiro.

Muito se especulou sobre quem é Nakamoto, já que a ideia logo de cara foi entendida como revolucionária. Por isso, a curiosidade só foi crescendo e crescendo.

Só que o provável dono da maior carteira Bitcoin que existe não apareceu até hoje, com teorias apontando para um físico japonês que mora nos Estados Unidos e até Elon Musk, o magnata do Tesla.

Tudo bem, não temos a cara da ideia. Mas o que importa é o que ela trouxe, seu legado.

A tecnologia

Além da ideia – à princípio maluca, mas hoje totalmente plausível – sobre a moeda virtual substituir moedas como dólar, euro e libra, a tecnologia blockhain é algo que tem uma carga inovadora enorme.

Com essa tecnologia, dá para registrar em uma cadeia (daí o nome) todas as transações feitas  e as informações necessárias, algo como um livro-registro totalmente eletrônico e protegido.

E como toda ideia disruptiva, ela mudou setores inteiros e obrigou empresas tradicionais a se adaptarem. Hoje bancos usam essa tecnologia para criar registros seguros e claros. E instituições de ensino ensinam a como aplicar e adaptar o conceito para seus meios.

Isso só dá ainda mais credibilidade ao Bitcoin e suas aplicações.

Outras criptomoedas

Claro que com o sucesso da ideia e sua facilidade para implantar, outras criptomoedas foram surgindo e um novo mercado se abriu completamente.

Entre as concorrentes dessas duas estão o Litecoin e o Ethereum, que também alcançaram valores interessantes na corrida pelas criptomoedas do fim de 2017. Elas trazem algumas variações, como promessas de maior velocidade nas transações, registros mais simples e maior anonimidade.

E, por fim, estão começando a aparecer e ganhar espaço as stable coins, que tem ligação com o dólar e maior centralização. Se isso é uma criptomoeda ou não, é outra discussão.

Mas mostra como investidores institucionais e até bancos – o JP Morgan lançou sua criptomoeda recentemente, sendo o primeiro grande banco americano a fazer isso – estão ligados no crescimento e potencial desta inovação.

Os irmãos Winklevoss, retratados no filme “Rede Social”, também criaram a sua moeda, a Gemini Coin, depois de anos defendendo as criptomoedas. Ela também é ligada ao dólar e suas variações.

Valor do Bitcoin em reais

o que é bitcoin valor em reais
O valor do Bitcoin é muito variável. O preço atual é considerado baixo

O valor em reais no dia 20 de fevereiro de 2019 está em R$ 14.545. Por não estar ligado a políticas monetárias diretamente, apenas aos ventos do mercado e da lei da oferta e procura, a variação de preços é bastante grande.

Como dito acima, no fim de 2017, o valor do Bitcoin chegou a US$ 19 mil (R$62,5 mil), sendo que exatamente um mês antes valia U$S 7,2 mil. Menos de dois meses depois desse pico gigante, o valor tinha caído para U$S 6,7 mil.

Com a queda de preço, surgem as oportunidades. Voltando à ideia das procuras nos buscadores online, “como investir em Bitcoin” é uma das perguntas mais procuradas sobre o assunto atualmente.

Comprar na baixa e vender na alta segue sendo um mantra de investidores, não importando qual seja o produto. Abaixo, vamos dar algumas dicas sobre como investir e onde.

Onde e como investir em Bitcoin?

É bastante simples e nós da Bitcoin to You estamos aqui para te ajudar. Com um investimento de apenas 50 reais, você pode comprar Bitcoin e outras nove criptomoedas na nossa plataforma.

Assim, dá o pontapé inicial com uma carteira Bitcoin e pode ter retornos muito maiores que investimentos tradicionais como poupança, fundos e títulos públicos.

A questão da segurança é algo que você precisa ficar esperto. Infelizmente há muitas exchanges que não são confiáveis e dão abertura para ataques de hackers. Por isso você precisa confiar em quem tem nome nesse mercado e anos de experiência.

A Bitcoin to You é a primeira Exchange brasileira, atuando no mercado nacional desde 2010. A plataforma de negociações é a mesma que a usada pela Bolsa de Chicago e a JP Morgan Chase, sendo segura e simples de mexer.

Bitcoin: é um bom investimento?

Essa é a pergunta mais importante. Devido ao momento de baixa, o coro de que a moeda virtual mais famosa não vale tanto a pena aumentou. O assunto é bastante controverso, com pessoas importantes dos dois lados defendendo sua visão com paixão.

Por exemplo, nesta semana, Elon Musk defendeu o Bitcoin e o chamou de uma ideia brilhante para substituir moedas tradicionais.

Nesses momentos há que se apegar a fatos e aí sim você pode traçar uma opinião.

O Bitcoin hoje não tem um valor tão grande como poucos meses atrás. Porém, comparando o gráfico dos últimos cinco anos (começo de 2014), a unidade valia pouco mais de 800 dólares no início. Um ano antes disso, passava por pouco de 100 dólares.

Esse retorno nem se compara a produtos financeiros ou físicos mesmo. Um carro desvaloriza no momento que sai da loja. Imóveis ainda são bem vistos pelos brasileiros, mas eles também podem desvalorizar pelas mais diferentes razões. Na crise econômica recente, os preços caíram 17%.

A comparação com a poupança, títulos públicos e a grande maioria dos fundos também é imensamente favorável à criptomoeda.

Portanto, quedas e altas são algo natural desta moeda virtual. E é normal e racional esperar um novo aumento.

O conhecimento sobre como investir em Bitcoin aumentou bastante. Notícias sobre seu potencial chegaram na grande mídia nos últimos anos. Exchanges confiáveis, como a Bitcoin to You, aumentaram a credibilidade da negociação.

Caindo na boca do povo

E o mais importante: comércios do mundo inteiro começam a aceitar a criptomoeda. Isso é mais natural nos Estados Unidos e na Europa, onde se pode comprar com criptomoedas, ingressos para jogos da NBA (liga de basquete norte-americana), pizza, colchões e até serviços de funerais!

E no Brasil? Também existem iniciativas, mesmo que mais tímidas. Se você tem Bitcoin hoje, estes lugares estão mais do que felizes em fazer negócio com você.

Mas o potencial, vale sempre salientar, é imenso.

Então quem pensar em criptomoedas como investimento precisa pesar na balança essa ideia delas substituírem as moedas tradicionais até para a compra de produtos do dia a dia. E isso trará uma valorização imensa, já que sua importância crescerá exponencialmente.

Esses são os fatos positivos. Agora, é claro que há que lidar com certas questões, como a segurança da moeda e a possibilidade de regulação de governos e cobrança de impostos.

Essa ação há tempos que é prometida por autoridades centrais, mas ainda não há uma corrida pela legislação, já que estamos falando de um assunto bastante complicado.

Se ela passa a ser controlada pelo Banco Central, todo o ponto da questão morre, já que a ideia nasceu para ser descentralizada.

Dicas para quem quer investir em Bitcoin

dicas para quem quer investir em bitcoin
Quem quiser investir em bitcoin pode seguir as dicas a seguir para ter melhor aproveitamento

Há algumas dicas que podem ser bastante úteis para quem quer investir em criptomoedas e na sua “filha pródiga”.

  1. Informe-se. Agradeça quem der o conselho sobre investir na criptomoeda, mas não pule de cabeça. Leia bastante sobre o assunto, não crie expectativas irreais e faça um planejamento. Você tem um dinheiro separado? Legal. Você precisa contrair dívidas ou está arriscando seu orçamento para comprar Bitcoin? Pense muito bem nisso.
  2. Escolha os melhores. Um erro comum é não escolher bem a Exchange para fazer suas negociações. Não faça isso. Nós da Bitcoin to You ficaremos felizes em atender suas dúvidas e fazer esse processo junto com você. Confie em quem tem experiência e credibilidade.
  3. Aguente firme. Uma queda no valor é natural. Não entre em pânico e saia vendendo sua posição porque assim você não poderá aproveitar os bons momentos.
  4. Faça as contas. Ter uma carteira Bitcoin pode ser algo inteligente, mas investimentos sempre são melhores quando diversificados, o que dá para fazer comprando outras moedas virtuais. Descubra se você tem um perfil mais conservador ou arrojado e leve isso em consideração ao comprar Bitcoin. Assim seus retornos serão ainda melhores.

Conclusão

O Bitcoin é inegavelmente revolucionário, ainda gerando discussões e novos impactos mesmo 10 anos depois de seu lançamento. As criptomoedas, sem dúvida alguma, vieram para ficar.

Questões como a segurança e a regulação por governos seguem rondando as moedas virtuais, porém, a vida continua e há oportunidades surgindo a todo momento. Quem comprou Bitcoin em 2011, 2012, 2013 não se arrepende nem um pouco, já que sua valorização passou dos 1000%.

Como investidor, cabe a você decidir se o produto é interessante e se encaixa no seu perfil. Agora, não há como negar seu potencial de uso, o fato de sua tecnologia ter mudado indústrias inteiras e sua valorização sempre iminente.

E nós da Bitcoin to You estamos prontos para receber suas dúvidas e ajudar você nesse processo, oferecendo segurança, uma plataforma destacável e uma equipe especializada para lhe ajudar a fazer seus investimentos.

Deixe uma resposta